Descubra como fazer uma homenagem à Iemanjá

Os rituais de homenagem à Iemanjá são uma tradição daqueles que creem nesta divindade africana. Seu nome significa “mãe cujos filhos são como peixes”. Mas qual o motivo de homenagear esta mulher que é considerada a padroeira dos pescadores?

Aprenda mais sobre como fazer a homenagem à Iemanjá

Apontada como a Afrodite brasileira, a deusa Iemanjá recebe diferentes nomes, que vão ao encontro das crenças e dos costumes de um povo. Seu dia, marcado no calendário oficial em 2 de fevereiro, é comemorado em todas as regiões do país.

Porém, os umbandistas também reverenciam esta deusa nos dias 15 de agosto, 8 de dezembro e 31 de dezembro, de acordo com um calendário específico. Está entendendo sobre a homenagem à Iemanjá? Então, aprenda mais.

A rainha do mar, deusa das religiões como a Umbanda e o Candomblé, é reverenciada por todos que creem no seu poder e na sua proteção. Ao homenagearem a sereia do mar, os devotos levam seus presentes até as águas, a fim de agradá-la diante de diversas oferendas.

Iemanjá é conhecida como aquela mulher que gosta de doces, de perfumes, de flores, sabonetes, espelhos e bijuterias. Sua vaidade vai ao encontro dos deuses e do povo. Cultuada e respeitada por todos os Orixás, ela representa a fecundidade. É à força da natureza, que rege o mundo e os lares de um povo que visa a sua proteção.

Curiosidades para conseguir fazer a homenagem à Iemanjá

  • A rainha das águas salgadas e regente absoluta das famílias, apara a cabeça dos bebês na hora do nascimento;
  • É ela que consolida as uniões, que gera a harmonia na família, desperta o amor e dá sentido ao mesmo;
  • Os filhos de Iemanjá são protetores e maternais;
  • Seu nome é proveniente da língua africana ioruba;
  • Uma tradição que ocorre em todas as viradas do ano, é do pulo das 7 ondinhas nas águas do mar, a fim de evocar os poderes de Iemanjá.
  • Quando vem à mente a figura de Iemanjá, ela é representada por uma mulher com cabelos compridos e vestido longo azul.

 

Conheça sua lenda para conseguir fazer a homenagem à Iemanjá

Filha de Olokum, Iemanjá era casada com Olofim-Odudua e com ele teve dez filhos Orixás.
Por amamentar as crianças, seus seios ficaram enormes, fazendo com que mal conseguisse visitar outros reinos. Esgotada e sentindo-se muito carente por morar em Ifé, ela saiu em direção ao oeste e conheceu o rei Okerê.

Logo se apaixonou e casaram-se. Com muita vergonha do tamanho dos seus seios, Iemanjá pediu ao esposo que nunca a ridicularizar por isso. Ele concordou; porém, um dia, embriagou-se e começou a fazer ofensas e deboches sobre os enormes seios da esposa. Entristecida, Iemanjá fugiu.

Desde menina, ela carregava consigo uma poção que a mãe lhe dera para beber em casos extremos. Okerê pediu desculpas, mas Iemanjá ao correr deixou cair a garrafa. A poção transformou-a num rio cujo leito seguiu em direção ao mar. Okerê, arrependido, transformou-se numa montanha para barrar o curso das águas.

Iemanjá pediu ajuda ao seu filho Xangô e com um raio, partiu a montanha ao meio. Assim, o rio seguiu para o oceano e, dessa forma, Iemanjá tornou-se a rainha do mar. Iemanjá é a deusa da nação de Egbé, nação está Iorubá onde existe o rio Yemojá (Yemanjá). Conseguiu acompanhar a história para fazer a homenagem à Iemanjá? Ótimo! Confira agora outros símbolos.

A simbologia do Orixá nas diferentes nações

As diferentes nações cultuam a deusa do mar, porém muitas vezes sua simbologia muda. Vamos conhecer algumas dessas simbologias para conseguir fazer homenagem à Iemanjá de melhor forma?

Iemanjá Asagba ou Sobá – Ligada a Airá, lufã e Orunmilá, é responsável por fiar algodão. Usa corrente de prata no tornozelo e carrega consigo um Abebé. Sua energia está ligada à espuma branca do mar e dos rios e é vista sempre vestindo branco e prata.

Iemanjá Akurá – Vive nas espumas do mar, aparece vestida com lodo do mar e coberta de algas marinhas. Muito rica e pouco vaidosa. Adora carneiro e possui forte ligação com Nanã.

Iemanjá Iyá Odo – Para alguns é a considerada mãe de Oxun. Vive às margens de todos os rios, representando o Ajubó ancestral. Além disso, é ligada ao Orixá Oxalufan.

Iemanjá Iya Awoyò – A mais velha das Orixás, possui ligação com Oxalá, Oxumarê e Xangô. Sempre vista vestindo branco perolado e cristal é responsável pelas marés.
Iemanjá Malèlèo ou Maylewo -Vive nos grandes lagos e é considerada muito tímida. Diz a lenda que não se pode tocar no rosto do Iyawò, veste verde claro e branco prateado.

Iemanjá Iyá Ógunté – Mãe do rio Ógun, é considerada uma grande guerreira. Usando uma espada e carregando um Abebé, tem ligação com Ogum e Oxaguian. Veste sempre azul claro e branco perolado.

Iemanjá Sessu, Iyasessu – Unida a Babá e Olokun é conhecida por ser voluntariosa e respeitável. Vive nas águas agitadas da costa e está sempre vestida de verde e branco.

Iemanjá Olossá ou Oloxá – Sua ligação a com Oxum e Nanã é a mais velha da terra de Egbado. Vestindo verde-claro e com suas contas branco cristal, está Orixá não possui iniciados no Brasil.

Iemanjá Iya Massê – Mãe de xangô.

Apesar de seus diferentes nomes, encanta quem a conhece, por isso, nos dias específicos para fazer a homenagem à Iemanjá que arrastam multidões para perto do mar. Por isso, “ Ela mora no mar, ela brinca na areia, no balanço das ondas a paz ela semeia”.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a homenagem à Iemanjá, veja também:

Especialistas online

Marusca taróloga

Marusca taróloga

Radiestesia,tarot,alquimia

100% Avaliações positivas

91 Consultas

Amyn ty ayrá

Amyn ty ayrá

Sacerdote babalorixá candomblé,búzios africanos,tarot

100% Avaliações positivas

198 Consultas

Athena taróloga

Athena taróloga

Kipper,tarot,baralho cigano

100% Avaliações positivas

169 Consultas

Cigana sarita

Cigana sarita

Tarot,baralho cigano

100% Avaliações positivas

157 Consultas

Comentários

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *