Você conhece a Umbanda branca? Aprenda agora as suas diferenças

A Umbanda possui uma tradição oral, ou seja, não há uma série de regras escritas sobre quem deve fazer o quê durante os rituais. Por isso, desde sua criação desta religião vem sofrendo algumas transformações e criando ramificações. Uma dessas ramificações é a Umbanda branca. E você já conhece essa vertente? Não? Sim? Então, confira agora algumas curiosidades e costumes dessa religião.

Diferenças entre Umbanda branca e a tradicional

De acordo com seus adeptos, a Umbanda branca é uma forma mais “pura” da religião. Ou seja, uma Umbanda que é mais próxima daquela religião criada no Rio de Janeiro no início do século XX. Assim, eles dizem também que essa é a religião mais próxima da sua religião-irmã, o Candomblé. Será que é verdade? Veja as diferenças a seguir:

Sons na Umbanda branca

Quando pensamos em terreiros, logo vem à mente pessoas vestidas de branco, usando colares e tocando tambores. Mas nem sempre é assim.

A Umbanda branca, por exemplo, não usa atabaques (tambores). De acordo com os seguidores dessa linha, a tradicional não utilizava instrumentos musicais em seus rituais.

Acessórios e roupas na Umbanda branca

Os colares são parte importante dos rituais da Umbanda tradicional, mas não se fazem presentes na branca.

Os cocares dos caboclos também não são utilizados pelos médiuns da Umbanda branca, bem como roupas coloridas ou chapéus. A vestimenta oficial nesta vertente da religião são roupas de cor branca.

Álcool e fumo na Umbanda branca

Quem nunca entrou em um terreiro e se deparou com um quadro de um “preto velho” fumando cachimbo? Nesses casos, trata-se de um terreiro de Umbanda tradicional. Na Umbanda branca não há uso de nenhum tipo de fumo. Aquelas oferendas aos Orixás, com garrafas de cachaça, também não fazem parte da vertente branca. O uso de bebidas alcoólicas é proibido.

Exu na Umbanda branca

Um dos Orixás mais populares da Umbanda têm papéis diferentes na religião tradicional e em sua linha branca.

Enquanto que na tradicional os médiuns podem incorporar esse Orixá, na Umbanda branca Exu é apenas o guardião do terreiro. Há, inclusive, terreiros da vertente branca que nem consideram Exu como um Orixá, mas sim como uma entidade que é mais poderosa que os humanos, mas mais fraca que os Orixás.

Dinheiro na Umbanda branca

“Trago pessoa amada em três dias”. Essa frase, muito comum em postes das grandes cidades brasileiras, jamais será encontrada nos terreiros de Umbanda branca. Pelo menos não em troca de dinheiro. Os médiuns das casas da linha branca não realizam nenhum tipo de trabalho – passes, consultas, etc – em troca de pagamento.

Trabalhos para o mal na Umbanda branca

Outra coisa que você nunca vai encontrar em um terreiro de Umbanda branca é a realização de trabalhos que visam prejudicar alguém. Todos os trabalhos da linha branca são realizados apenas para melhorar a vida das pessoas sem fazer mal a um terceiro.

Sacrifícios de animais na Umbanda branca

Não há, na Umbanda branca, o sacrifício de animais por motivos religiosos, mesmo que a carne seja servida aos humanos.

Aproveitando que agora você conhece a Umbanda branca, confira também:

Especialistas online

Lara caliope

Lara caliope

Tarologa,terapeuta holistica,tarot

79% Avaliações positivas

83 Consultas

Lua nova séfira

Lua nova séfira

Amor,carreira,espiritual

100% Avaliações positivas

211 Consultas

Athena taróloga

Athena taróloga

Kipper,tarot,baralho cigano

100% Avaliações positivas

426 Consultas

Ravenna sacerdotisa e taróloga

Ravenna sacerdotisa e taróloga

Amor,tarot,numerologia

96% Avaliações positivas

414 Consultas

Ofertas para você

Comentários

  • A Umbanda é uma só em sua diversidade, o que mostra como Deus é pra lá de original! Nos ajude não cultivando termos que diferenciam, nos ajude a unir a Umbanda! Axé a tears-in-heaven e ao autor do texto.

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *